BATALHAS


As acções e batalhas da 'Campanha de Montevideu' (ou 2.ª Invasión Portuguesa) ocorreram entre Agosto de 1816 e Maio de 1817, em dois teatros de operações distintos,  a 600 km um do outro, a norte, em Entre Rios e Missões, e a sul, Montevideu e a costa atlântica.

“O armistício com os insurgentes tem produzido consequências terríveis. Esta capitania tem perdido muito mais gente do que a que perdeu na campanha, as deserções para o partido revolucionário tem sido mui grande; as mortes e roubos na fronteira são sem número. O índio minuano aliado daquele partido, ou de um dos muitos que tem produzido aquela hidra, acaba de assassinar por traição uma guarda nossa, de que só escapou o comandante. Os negros vão fugindo daqui para Buenos Aires por efeito do decreto da canalha, que é uma hostilidade manifesta contra nós, e ainda do Rio de Janeiro creio eu que não houve uma reclamação vigorosa, e para coroar a obra, este general com ordem que deu aos comandantes das guardas da fronteira de se retirarem, sendo atacados. Poder-se-á, sem uma providência sobre tais objectos, conservar-se esta capitania? Vossa excelência o decidirá.”

Carta de José Egídio Alvares de Almeida, secretário particular do príncipe regente, a António Araújo de Azevedo, sabendo que este havia sido nomeado secretário de estado dos negócios da Marinha. Porto Alegre, 19 de março de 1814

Aqui apresento uma breve sinopse de cada teatro, com os principais conflitos, e com ligação aos que aqui tratámos já no blogue.

* * *
TEATRO DE OPERAÇÕES LESTE
COSTA ATLÂNTICA E A DIVISÃO DE VOLUNTARIOS REAES

COLUNA DA ESQUERDA (Pinto/Lecor)
Litoral leste da Banda Oriental, constituído pelo grosso da Divisão de Voluntários Reais e por dois esquadrões de cavalaria das tropas do Rio Grande. Reúne-se com a Coluna do Centro a 15 de Janeiro, tomando Montevideu a 20. As tropas orientais eram comandadas por Frutuoso Rivera. Após a entrada em Montevidéu, e até ao inverno, os portugueses instalam-se e promovem duas sortidas em força para forreagem e reconhecimento.


19/11 – BATALHA DE INDIA MUERTA:

* * *

COLUNA DO CENTRO (Silveira)
Pelo Cerro Largo ao longo da Coxilha Central até união com a Coluna da Esquerda a 15 de janeiro de 1817. Inicialmente pensada para atuar no teatro Oeste, diretamente contra Artigas e o grosso oriental, acaba por tomar uma rota interior paralela à da Coluna da Esquerda, em seu apoio. Reúne-se à Coluna da Esquerda a 15 de Janeiro e passa a atuar com esta.


9/8/1816 - Arredondo
13/8 – Melo
16/10 – Zapallar
1/12 – Casupá


3/1/1817 – Santa Lúcia



* * *
TEATRO DE OPERAÇÕES OESTE
MISSÕES, FRONTEIRA DO RIO QUARAÍ (ENTRE RIOS) E SANTANA DO LIVRAMENTO

COLUNA DA DIREITA (Curado/Alegrete)
Na fronteira do rio Quaraí e distrito de Entre Rios, com quartel general no rio Ibirapuitã. Repulsa os primeiros ataques orientais, culminando em Carumbé (27.10.1816), e depois contra ataca, acabando por obter uma segunda vitória, em Catalán (4-1-1817), que coloca as forças orientais de José Artigas na defensiva até ao inverno.


27/10 – BATALHA DE CARUMBÉ:


4/1 – BATALHA DE CATALÁN:


DISTRITO DAS MISSÕES (Chagas/Abreu)
Invasão oriental do distrito de Missões e sítio à vila de S. Borja, culminando na batalha de S. Borja e quebra do sítio e repulsa da invasão, logo nas fases iniciais do conflito. A campanha culmina com uma invasão de Corrientes e das Missiones Ocidentales entre janeiro e março de 1817.


12/9/1816 – S. João Velho
16/9 – Rincão da Cruz


21/9 – São Borja (início de sítio)
27/9 – Ituparaí [ler Batalha de São Borja]
28/9 – São Borja (ataque oriental)
4/10 – Botuí [ler Batalha de São Borja]


Janeiro-Abril 1817 - Campanha Além do Uruguai [memórias do tenente Domingos]

19/1/1817 - Tenente Luiz Faiada, um oficial de Lanceiros Guaranis (Campanha Além do Uruguai, 19 de Janeiro de 1817)


* * *


Lista de engajamentos entre portugueses e orientais, nas campanhas de 1816 a 1820, como em DONATO, Hernani, Dicionário das Batalhas Brasileiras. BIBLIEX. Rio de Janeiro, 2001.

Sem comentários:

Enviar um comentário