quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Batalha de Catalán (II): Ordem de batalha e baixas


Por ir já a primeira parte extensa, se continua nesta, com as ordens de batalha e as baixas. Leia a primeira parte:



Pedimos desculpa por algum erro ou gralha, espero que gostem deste projeto de divulgação histórica militar luso-brasileira, em principio continuaremos a celebrar os centenários conforme se apresentem, até à batalha final, Tacuarembó, em 1820, assim como artigos mais analíticos sobre armamento, uniformologia, etc.

Continuemos, então, com alguns elementos finais.

Apontamentos biográficos
- Mayor General Andrés Felipe Latorre
- Tenente general Joaquim Xavier Curado

* * *

ORDEM DE BATALHA

[Os números que acompanham cada unidade ou subunidade dizem respeito, como legendas, aos vários mapas da batalha.]

Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves 
Exército do Brasil: Capitania do Rio Grande de S. Pedro

Marquês do Alegrete 12 [14] – Piquete Cavalaria, guarda do General em Chefe

ALA DIREITA 
1 – Regimento de Dragões do Rio Grande (Cap. Sebastião Barreto Pinto)
2 – Cavalaria, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo)
7 [3] – Bataria da Esquerda, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo), 3 peças de calibre 6 (Cap. José Pinto de Carvalho)

CENTRO
3 [4] – 2.º Batalhão de Infantaria, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo)
6 [5] – Bataria do Centro, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo), 4 obuses (SargMor. Francisco Castro Matutino Pitta)
4 [6] – 1.º Batalhão de Infantaria, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo)
5 [7] – Bataria da Direita, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo), 2 peças de calibre 3  (Ten. António Soares)

ALA ESQUERDA (primeiro contacto)
8 – 2 Esquadrões de Cavalaria, Regimento de Milícias de Porto Alegre  (Cor. Bento Correia da Câmara) – combateram apeados.
9 – Regimento de Cavalaria de Milícias do Rio Pardo  (Brig. João de Deus Mena Barreto) – combateram apeados.

10 [13] – 1 Esquadrão de Cavalaria, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo)  (Cap José da Silva Brandão) – vai reforçar a posição do general
11 [10] – Cavalaria, Esquadrões de Entre Rios  (TenCor José de Abreu) – vai reforçar a direita

RESERVA (& Cavalhada, etc.)
13 – Infantaria , Legião de Voluntários Reais (S. Paulo) (reserva)
- Artilharia, Legião de Voluntários Reais (S. Paulo), 2 peças de calibre 3 (2.º Ten. José Joaquim da Luz)

TESTEMUNHOS SOBRE O NÚMERO DE EFETIVOS PORTUGUESES

A nossa força era composta de dois mil duzentos e tantos homens, e 11 bocas de  fogo, mas em rigor entrariam na acção 1300 a 1400 homens, ficando os mais guardando as Cavalhadas, Boiadas, e Bagagens.[Vicente da Fonseca, 8 de janeiro]

Liga dos Povos Livres
Exército

Efetivos
Entre 3200 e 3400 efetivos, consoante a fonte.  Pouco mais de um terço seria constituído por infantaria, o restante sendo cavalaria.

Comandante
Mayor General Andrés Latorre

Comandante da Cavalaria
Coronel Mondragón

Comandante da Infantaria e Artilharia
Coronel José Antonio Berdún
(2 peças)

Reserva
c. 400 homens

14 – Cav Oriental, direita
15 - Cav Oriental, esquerda 
(maioritariamente das províncias de Corrientes e Entre Rios)
16 – Inf Oriental
17 – Art Oriental

TESTEMUNHOS SOBRE O NÚMERO DE EFETIVOS ORIENTAIS

“[...] la Cavallería del costado izquierdo que era Correntina y gente del Entre Ríos que eran en números de 800 hombres.” [Artigas, 13 de janeiro]

“A força inimiga era composta de 3200 homens, sendo mil e tantos de infantaria, tinham duas peças d'artilharia, e mais 400 e tantos homens que guardavam a cavalhada; o comandante em chefe era o Major General Latorre, o Coronel Mondragon o comandante da cavalaria, e o Coronel Verdum [Berdún] comandava a infantaria, e artilharia.” [Vicente da Fonseca, 8 de janeiro]

* * *

BAIXAS

CATALÁN (4/1)

MORTOS
FERIDOS
Ação
OFICIAIS
PRAÇAS
OFICIAIS
PRAÇAS
Est. Maior, LSP
0
0
1
0
Cav, LSP
1
12
2
5
Inf, LSP
1
11
1
23
Art, LSP
0
0
0
9
Reg Dragões RG
4
13
1
17
Reg Mil. Rio Pardo
3
18
6
63
Reg. Mil. Porto Alegre
0
11
1
17
Esq. Mil. Entre Rios
0
4
0
0
TOTAL
9
69
12
134


TESTEMUNHOS SOBRE AS BAIXAS ORIENTAIS

“Reputa-se a perda do inimigo entre mortos e prizioneiros de 900  a 1000”. [Pereira Pinto, 6 de janeiro]

“Entre os prizioneiros acham-se 3 Portuguezes, hum dos quaes hé da infantaria de S. Paulo dezertado em Maldonado na campanha passada persuado-me que o Sñr. Marquéz os mandará arcabuzar”. [Vicente da Fonseca, 8 de janeiro]



EXÉRCITO DO BRASIL
OFICIAIS MORTOS EM COMBATE

Sargento mor António José do Rosário (Infantaria, Legião de São Paulo)
Cadete João Nepomuceno da Costa Ferreira (Cavalaria, Legião de São Paulo)
Capitão José de Paula Prestes (Regimento de Dragões do Rio Grande)
Capitão Francisco de Borja de Almeida Corte Real (Regimento de Dragões do Rio Grande)
Secretário Eleutério Severiano dos Santos Pereira ((Regimento de Dragões do Rio Grande)
Cadete Manuel Joaquim Carneiro da Fontoura (Regimento de Dragões do Rio Grande)
Capitão Victoriano José Centena (Regimento de Milícias do Rio Pardo)
Cadete Porta Estandarte Eduardo Alves Guimarães (Regimento de Milícias do Rio Pardo)
Cadete Porta Estandarte Vasco Pinto Guimarães (Regimento de Milícias do Rio Pardo)

Esta acção seria para mim a mais satisfatória, se não tivesse de acrescentar a perda dos individuos [...] com especial lamento as mortes dos oficiais Corte Real, Prestes, e Eleutério, restando-me unicamente o prazer de os ver acabar, arrostando constantemente contra o inimigo, dando decisivas provas de Soldados Portuguezes, e como seja este o dever do Verdadeiro Soldado, seja esta também a nossa resignação. [Pereira Pinto, 6 de janeiro]

O meo Camarada e amigo Major Rozário [António José do Rosário] cahio morto, ao meo ládo esquerdo logo das primeiras balas do Inimigo, elle cértamente nem soube de que morreo, que tão repentina foi a sua morte de huma bála que lhe passou ambas as frontes, logo o mandei carregar p.a baixo de hum Carro de monições, e o mandei cobrir com hum ponxe, os Capitaens Prestes [José de Paula Prestes, RegDrag], e Córte  Real [Francisco de Borja de Almeida Corte Real, RegDrag], e o Secretario de Dragones [Eleutério Severiano dos Santos Pereira]; o Valente Furriel Moira da Cavalleria de S. Paulo, e o Cadete da mesma Cavaleria filho do Coronél Engenheiro de S. Paulo [Manuel Joaquim Carneiro de Fontoura] morreram todos traspasados de lanças dos Charrúas, e o Ajud.° Marçal foi ferido de cutiládas na cabeça. o Ten. Joaquim Maria baleado em huá coxa, o Cap.m Gaspar [Gaspar Ribeiro da Sousa Ramos, Inf/LSP) ferido em hum pé. 
[Vicente da Fonseca, 8 de janeiro]

* * *

Veja a bibliografia e outras referências na postagem

Sem comentários:

Enviar um comentário