domingo, 1 de setembro de 2019

Memórias do coronel Francisco de Paula Azeredo - II


Memórias do coronel Francisco de Paula Azeredo: Parte II
Do início da marcha terrestre a 16 de Julho até 4 de Agosto de 1816, em que o coronel e o 2.º Regimento de Infantaria fazem alto em Torres, a entrada no Rio Grande.

Continua da Parte I [LER]

[16 de Julho 1816]
Assim o foi esta tempestade que durou toda' essa noite e se prolongou por todo o dia immediato, deixando o campo alagado. A tropa estava toda ensopada em agua, e o Coronel da mesma forma, porque o misero albergue não era mais agasalhado do que a exposição nua ao ar livre.


Guarda do Embaú, foto de Tolvo [wikicommons]

Aqui rola o Imbaú suas aguas caudalosas, que a pequena distancia fenecem no Oceano.
Este rio foi atravessado pela tropa n'uma jangada, indo os cavallos e as cavalgaduras de bagagem á mão e a nado.
Este rio corre durante alguma extensão parallelamente ao mar, e por isso a marcha do batalhão foi entre o mar e o rio, por um terreno pedregoso e quasi intransitavel, sendo necessario para fazer transportar as bagagens, que os pretos alliviassem as cavalgaduras, e levassem estas á mão, sendo assim mesmo muito laborioso conduzil-as por aquelles desfiladeiros.

Entre o rio e um morro, que existe mais ao sul, ha um pequeno povoado a que se chama Gamboa: ahi fez o batalhão um pequeno alto, e subindo o morro, chamado do Seriú, desceu a encosta para um pequeno rio, que tem a mesma denominação: como era baixa-mar foi facil vadeál-o, e fmalmente chegaram a um sitio denominado = Armação de Garupava, = onde fizeram alto, ficando ahi n'essa noite, depois de uma marcha de quatro legoas, atravez d'um paiz difficil já pelos desfiladeiros, já pela arêa solta, que embaraçava a marcha. Em toda a America meridional chamam= Armação — a qualquer logar, sito á beira-mar, d'onde podem sahir barcos e lanchas para a pesca da balêa. Em taes sitios ha lagares para a distillação do azeite: estas officinas pertencem á fazenda real: e n'este logar havia bons armazens, e uma pequena povoação quasi toda composta de negros.

[19 de Julho]
Levantado o acampamento d'esta armação, seguiram no dia 19 pelo bello paiz que a separa do districto de Barbosa, onde pernoitaram, mas não em povoado pelo não haver, encontrando-se apenas no espaço de quatro legoas d'esta marcha algumas casas isoladas, com o terreno bem cultivado em redor, achando-se o resto inculto, mas coberto de frondoso arvoredo, onde se viam papagaios e aves das cores mais fantásticas.
Os laranjaes são abundantes n'este paiz, e as laranjas excellentes: tambem se cultiva o milho, mas sobre tudo a farinha de pau, que forma a base do sustento dos poucos habitadores d'este paiz, susceptivel d'um grande incremento, como de facto vai tendo e tem tido desde a época, a que nos reportamos, até aquella em que d'ella falfamos. 

[20 de Julho]
No dia 20 a marcha dirigiu-se sobre uma importante villa chamada = Villa-Nova = distante duas legoas do ultimo acampamento; sendo necessario fazer ahi alto o dia seguinte para dar logar á marcha das tropas da vanguarda, que haviam demorado os seus movimentos.

[21 de Julho]
Foi no dia seguinte, 21 de julho, que se poz em marcha para a villa da Laguna, cinco legoas para o sul, seguindo o caminho da beira-mar, que é formado d'uma arêa dura, e tanto que nem as cavalgaduras deitavam pégadas. A villa da Laguna está situada sobre um pequeno rio chamado Tubarão, que forma uma estreita barra no mar, onde apenas podem entrar navios de pequeno lote, a que chamam bagres, pelo que um habitante da mesma villa lhe chamava = sympathica e espinhosa = expressão singular, e sem sentido.

Todavia o commercio e a pesca entretém mais a população do que a cultura das terras, que demais se prestam pouco a isso: d'aqui resulta o que acontece a quasi todas as povoações commerciaes, que as suas ruas são aceadas e as casas elegantes, com rotulos nas janellas, como ainda hoje usam os Bracharenses. Como o caminho desde o pontal da Pinheira, logar do desembarque ao vir de Santa Catharina, até á Laguna era muito escabroso, vieram quasi todas as bagagens por mar até esta villa, d'onde resultou que durante os dias que mediaram desde 15 a 21 de julho, faltaram aos transeuntes todas as commodidades, e em especial ao Coronel, que não teve cama, dormindo sempre vestido, embrulhado no seu capote, sobre a terra; assim como lhe faltaram outros objectos necessarios com que se tinha prevenido no Rio de Janeiro.
Existe grande çreação de cavallos, e aves neste paiz, e os seus preços eram então diminutissimos: um bom cavallo custava 20$000 reis fracos, um peru 480, um pato 1.60 e assim por diante. As laranjas são tantas e tão boas que quasi não tem preço, dando-as sem dinheiro; e até o milho não subia de 200 reis fracos por alqueire de Portugal.

[22-25 de Julho]
Fez alto o batalhão n'esta bonita posição,- durante quatro dias, ficando o Coronel hospedado em casa d'um rico negociante, Capitão de milicias, chamado Francisco da Silva França, que lhe deu o melhor e mais grato agasalho: ahi comprou uma junta de bois, que lhe custaram 12$800 reis fracos, e com estes atrellados a um carro, que justou com outra junta para lhe conduzir a bagagem, na qual entrava uma boa barraca de campanha, 

[26 de Julho]
seguiu jornada no dia 26 com o batalhão, atravessando o rio, e indo ficar da outra banda em um campo denominado a Barra da Laguna. O rio tem no logar onde foi atravessado perto de meia legoa de largura, mas a bahia que fornia o porto estende-se cousa de cinco legoas pela terra dentro, e seria de certo excellente, se tivera mais profundidade. Sendo o itinerario marcado para = porto Rebello, que está cinco legoas distante da villa da Lugana, a montante do rio, marchou o batalhão por terra para o local indicado, indo o Coronel em um barco, gosando a bella vista das margens d'este rio, que tem muitos pomares de laranjeiras, e se fossem bem cultivados seriam um paiz delicioso: durante o seu trajecto, recebe este rio dois outros, o Madre e o Camaxo, que regam terrenos quasi incultos, mas muito ferteis. De porto Rebello seguiram approximando-se novamente da costa até= Campo-bom = a meia legoa do mar, e a quatro do logar referido acima; aqui apenas existia uma roça no meio do matto, contendo duas casas.

[29 de Julho]
Partindo no dia 29, logo a meia legoa de distancia encontraram um rio d'uma grande profundidade, com 100 palmos apenas de largura, chamado Orotango, mas que retardou a marcha por algumas horas, sendo necessario construir uma jangada para ser transposto; feito o que se dirigiram a um sitio pantanoso e esteril, chamado a =Barra velha = onde pernoitaram, tendo andado quatro legoas.

[30 de Julho]
Na marcha do dia 30, em que deixaram este local ermo e esteril, tiveram de passar um rio formidavel, largo e arrebatado na sua corrente, cujo nome é Araringoa, e tão rapido e impetuoso era, que para atravessal-o foi necessario esperar a subida da maré, pois de outra forma seria facil perder-se a jangada, que se construiu para a passagem da tropa. Feita porém a transposição sem accidente, caminharam para outro sitio distante tres legoas, chamado os Conventos, assim appellidado por existir alli um alto penhasco, que, visto de longe, parece um convento ; n'este local apenas havia uma casa, onde habitava uma velha com alguns escravos, que cultivavam milho, algodão e boas hortalices.

[31 de Julho]
No dia 31 sahiram dos Conventos e seguindo um paiz cheio de lagoas e pantanos habitados por jacarés, foram pernoitar ao cabo de quatro legoas no sitio chamado Lagoinhos, tendo assim avançado para o Sul perto de quarenta legoas.

[1 de Agosto]
Entrou o mez d'agosto, que corresponde n'aquelle paiz ao nosso fevereiro, e no 1.° d'elle sahiu o batalhão de Lagoinhos e marcharam para um campo distante quatro legoas, onde chamam = Agoas Claras, = nome derivado dum pequeno rio, que alli passa, cujas agoas são muito crystallinas. Este sitio é ermo, sem casa alguma, e á direita nota-se uma grande floresta, em cujo centro ha uma lagoa, povoada de jacarés, um dos quaes foi morto pelos soldados, e tinha dez palmos de comprimento e cinco de circumferencia na barriga.

[2 de Agosto]
No dia seguinte lhes appareceu pela frente o profundo rio=Mapituba, que passaram n'uma jangada, que alli mes'mo se construiu, e avançando mais duas legoas foram pernoitar no sitio das Torres, que tomou este nome de dois grandes morros que se avançam sobre o mar, e que de longe parecem como elevadas torres.
N'este sitio havia apenas duas casas com seus moradores, de modo que na distancia de vinte e duas legoas, que tantas havia d'alli á Laguna, apenas encontraram onze casas em quatro locaes, que foram =Porto Rebello, Barra Velha, Conventos e Torres.

A estrada desde a Laguna até ás Torres é quasi sempre pela beira-mar, mas dura e de facil transito; todavia muitas vezes na maré alta é em partes inundada pelas aguas vivas. Nem um passageiro encontraram em tão vasta extensão, e além d'algumas feras e jacarés, só viram os ares toldados de aves de diversas especies, mas principalmente carnivoras; comtudo são tambem frequentes as garças, 0s patos e as cegonhas: todas estas aves se sustentam de marisco, e de peixe, que o mar arroja á praia, o que faz em grande porção, porque sendo estes mares muito bulidos e tempestuosos, é grande a multidão de peixes que as vagas arremessam contra a costa: as mesmas balêas partilham este fado, e não poucas depararam n'esta marcha, que já se achavam mortas e em putrefacção estendidas na arôa. 

Este paiz é tão deserto, que desde Santa Catharina até este sitio das Torres apenas ha cinco freguezias, que são 1.° a de S. José: 2.° Nossa Senhora do Rosario ou Enseada de Brito: 3.° SantAnna ou Villa-Nova: 4.° Santo Antonio da Laguna: e 5.° Araringua, cuja igreja ainda então estava em construcção: havendo pois freguezias com uma área de doze e mais legoas de diametro, é claro que a maior parte dos seus parochianos passam a maior parte do anno sem ouvirem missa, e apenas os que podem se vão desobrigar na quaresma: todavia não são distituidos de moral e de principios religiosos, supprindo estas faltas involuntarias por meio de varias orações: isto prova que não basta haver os meios para se exercer a devoção: o que mais do que tudo se torna necessario é a mesma devoção; nos campos, no meio dos bosques e no centro das occupações agricolas o instincto da religião conserva-se e áperfeiçôa-se: no meio da devassidão das cidades, na presença da desmoralisação dos homens mais elevadamente collocados e da corrupção publica, esse instincto corrompe-se e pollúe-se pela mais asquerosa indifferença. A grande parte do que os contemporaneos chamam civilisação e progresso, só cabe o nome de devassidão e retrocesso: devassidão porque se ferem os principios mais sãos da moral: retrocesso porque o homem em vez d'aperfeiçoar-se e de se approximar do Creador, degrada-se e avisinha-se dos entes inferiores da creação.

Os homens n'este paiz são esbeltos e vigorosos; montam a cavallo com uma firmeza, que se não toma em picadeiro nenhum : assim raras vezes andam a pé, e a sua arma é a faca de ponta ; não que ella lhes seja necessaria para a defesa ou ataque dos seus semelhantes, porque o roubo e o assassinato são crimes, de que apenas se tem noticia: mas sim para o ataque e defesa contra os animaes bravios que infestam o sertão. Um laço tambem pende sempre a seu lado, e em atiral-o são dextrissimos: o seu desembaraço chega a ponto de laçarem um boi ou um cavallo por onde querem. Por este modo se apanhavam os bois que serviam para o mantimento do batalhão, a quem como é facil de presumir, n'este paiz nunca faltou para etape excellente carne fresca.

As mulheres são bem apessoadas e bonitas, vestem d'algodão - e chita, que ellas mesmas fabricam; andam aceadas e penteadas á maneira das europêas. O seu sustento ordinario, além da carne, é a farinha de pau, e as laranjas: não comem pão e até ignoram como seja manipulado: o milho, que cultivam, vendem-no em grão, e dão-no tambem aos porcos, que criam em grande abundancia.

[3-4 de Agosto]
O Coronel deteve-se nas Torres dois dias, 3 e 4 d'agosto, a fim de dar tempo não só para o descanço da tropa, mas para os soldados se poderem lavar, remendar e compor os sapatos. Esse tempo aproveitou-o em observar e estudar o paiz tão novo para um europeu. 
Os dois morros, que pela semelhança dão o nome ao sitio são dum aspecto magnifico. Um d'elles cheio de fendas por um lado é coberto de frondoso arvoredo, ao passo que da outra parte parece uma alta muralha sem saliencia alguma. O outro era um elevado rochedo de mais de trezentas braças de circumferencia, e terminando em ponta aguda, que desafiava as nuvens: á direita estendia-se uma vasta cordilheira de montanhas, delraz das quaes habitavam os povos barbaros ou gentios,' a que os naturaes chamam = Bogres = cujas incursões muitas vezes , incommodavam os pacificos e laboriosos habitantes do littoral. E' o mesmo que succede nas nossas vastas colonias africanas, onde o gentio tem sempre em sobre-salto as prosperas fazendas, que a civilisação e a industria creara com sacrificios enormes: conserval-os em respeito é difficil em tão extensas costas; mas o tempo irá corrigindo estes males, que são a consequencia necessaria da barbarie d'essa raça degenerada, que envergonhada do seu aviltamento, se esconde rios areaes e sertões do velho e novo mundo, para vi„ver entre as feras e as serpentes, reunindo a ferocidade d'aquellas á astucia d'estas, e sendo esclarecida pelo fraco clarão d'uma razão extraviada.

[CONTINUA]


* * *

CONHEÇA A BIOGRAFIA DESTE OFICIAL AQUI

Retirado de: AGUILAR, Francisco D’Azeredo Teixeira D’, Apontamentos Biographicos de Francisco de Paula D’Azeredo, Conde de Samodães, Porto, Tip. Manoel José Pereira, 1866. pp. 82-sg

Sem comentários:

Publicar um comentário